Banner
Dehonianos - Província BSPArtigosCONVENTINHO DE TAUBATÉ. OS DEHONIANOS NO VALE DO PARAÍBA

CONVENTINHO DE TAUBATÉ. OS DEHONIANOS NO VALE DO PARAÍBA

2.5. Os bispos da diocese de Taubaté

Durante os 89 anos de existência, a diocese de Taubaté teve seis bispos:

  1. Dom Epaminondas Nunes de Ávila e Silva. Nasceu aos 4 de julho de 1869, em Serro Frio (fundada por um taubateano, de nome Arzão), antiga Vila do Príncipe (MG). Com 13 anos entrou para o Seminário de Diamantina. Aos 17 de julho de 1892, na capela do Seminário de Diamantina (Basílica Menor do Sagrado Coração de Jesus), o diácono Epaminondas recebeu a ordem do Presbiterato. Como sacerdote era um grande devoto do Sagrado Coração de Jesus. Promovia o culto e a entronização da imagem do Coração de Jesus em todas as famílias. O mês de junho era celebrado com muita solenidade.

O primeiro bispo titular de Taubaté, foi nomeado em 29 de abril, sagrado aos 8 de setembro e empossado a 21 de novembro de 1909. No dia 20 de fevereiro de 1910, fundou o seminário diocesano. Durante o seu ministério de bispo, de vinte e cinco anos, ordenou quase 80 sacerdotes. Dom Duarte Leopoldo e Silva, arcebispo de São Paulo, resumiu numa frase o ministério pastoral de dom Epaminondas: “Apóstolo das Vocações Sacerdotais”. Governou a diocese até seu falecimento, em 29 de junho de l935.

  1. Dom André Arcoverde de Albuquerque Cavalcante. Veio transferido da diocese de Valença (RJ) para Taubaté. Nomeado em 8 de agosto de 1936, tomou posse a 26 de outubro do mesmo ano. Renunciou em l8 de novembro de 1941, retirando-se para o Rio de Janeiro, onde faleceu aos 19 de junho de 1955. Taubaté ficou então cerca de três anos sem bispo (1941-1944).
  2. Dom Francisco Borja do Amaral. O terceiro bispo titular é o do pastoreio mais longo (32 anos). Veio de Lorena (que se tornaria diocese em 1937) em 3 de outubro de 1944, tomando posse a 8 de dezembro do mesmo ano. Renunciou a 4 de maio de 1976 e veio a falecer a 1º de maio de 1989, em Taubaté. Teve como bispo auxiliar dom Gabriel Paulino do Couto, desde 30 de abril de 1956 e que, como vigário geral, exerceu as funções até 27 de março de 1965. Dom Francisco teve ainda por bispo coadjutor dom José Antônio do Couto.
  3. Dom José Antônio do Couto, SCJ. Nasceu em Formiga (MG), no dia 1º de novembro de 1927. Fez seus estudos nos Seminário de Lavras (MG), Corupá (SC) e Brusque (SC), seguindo para Roma, onde fez os estudos superiores. Foi professor e reitor do Convento Sagrado Coração de Jesus (Conventinho). Nomeado bispo em 3 de julho de 1974, sua ordenação episcopal ocorreu aos 18 de agosto do mesmo ano. Assumiu o mandato episcopal da diocese no dia 5 de maio de 1976 e renunciou, por motivos de saúde, em agosto de 1981. Reside (desde o dia 3.11.1981) no Convento Sagrado Coração de Jesus como bispo emérito {Dom José Antônio do Couto encontra-se enfermo desde o dia 28.12.1979}.
  4. Dom Antônio Afonso de Miranda, SDN. Nasceu em 1920, em Cipotânea (MG) e ordenou-se presbítero sacramentino no dia 1º de novembro de 1945. Foi superior geral de sua Congregação e eleito bispo, assumiu a diocese de Lorena, em 1971. Foi coadjutor e administrador apostólico da diocese de Campanha (MG) sendo que, em 1981, veio para Taubaté. 5º bispo de nossa diocese, exerceu o ministério pastoral até 22 de maio de 1996, quando foi nomeado seu substituto na diocese de Taubaté.
  5. Dom Carmo João Rhoden, SCJ. Nasceu em São José do Inhacorá (RS), no dia 16 de maio de 1939. Ingressou no Seminário São Miguel de Crissiumal (RS) em 1953. Entre 1954 e 1959 estudou no Seminário de Corupá (SC). Professou os primeiros votos a 2.2.1961 e os votos perpétuos no ano de 1964, em Roma. Ainda na Cidade Eterna foi ordenado presbítero a 17.12.1966.

Durante dois anos (1961-1962) fez o curso de Filosofia em Brusque (SC). Após um semestre de Teologia em Taubaté, completou o currículo teológico, com Licenciado em Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (1963-1976). Licenciou-se, ainda, em teologia moral pela Academia Alfonsiana, em Roma (1967-1970).

De volta ao Brasil, em julho de 1970, foi professor de teologia moral no Instituto Teológico de Taubaté (1970-1972). Durante o magistério teológico, atendeu as paróquias de Lagoinha (SP) e Redenção da Serra (SP).

Em 1973 foi transferido para a paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Joinville (SC), onde permaneceu como vigário paroquial até 1978. De 1978 a 1984 exerceu a função de “Magister Spiritus” no Convento Sagrado Coração de Jesus, em Brusque, no curso de Filosofia. De Brusque voltou à paróquia Sagrado Coração de Jesus de Joinville, para ser pároco de 1985 a 1993.

Entre 1994 a 1996 foi pároco na paróquia de São Luís Gonzaga em Brusque, sendo nomeado bispo de Taubaté no dia 22 de maio de 1996. É o 7º bispo dehoniano da Província Brasileira Meridional (dos quais um é falecido, um é emérito e cinco estão em plena atividade). A ordenação episcopal e a posse de dom Carmo tiveram lugar no dia 17 de agosto de 1996, na cidade de Taubaté {cf. José B. Ortiz, op. cit., Vol. II, pp. 655-656}.

Dom Carmo João Rhoden é o 2º bispo scj de Taubaté. Dom José Antônio do Couto scj já fora bispo nessa mesma diocese (1974-1981) {cf. Circular SCJ (jul. ago. 1996), p. 178}.

Pe. José Francisco Schmitt, scj.

Comments are closed.