Dehonianos - Província BSPArtigosCONVENTINHO DE TAUBATÉ. OS DEHONIANOS NO VALE DO PARAÍBA

CONVENTINHO DE TAUBATÉ. OS DEHONIANOS NO VALE DO PARAÍBA

CAPÍTULO 2

A IGREJA PARTICULAR DE TAUBATÉ

2.1. A igreja matriz de São Francisco das Chagas

A igreja matriz de São Francisco das Chagas originou-se da primeira igreja de taipa-de-pilão erigida por Jacques Félix, em 1645. Era uma pequena igreja localizada no lugar onde hoje está a CAPELA DOS PASSOS, anexa à atual catedral. A igreja maior, com dimensões aproximadas da catedral de hoje e com a mesma localização, foi construída posteriormente. Começou a ser edificada ainda no final do seiscentismo ou início do século XVIII. Foi concluída por volta de 1800, depois de cerca de um século de obras.

Durante o século XIX a igreja recebeu diversos reparos e reformas, que não mudaram sua arquitetura original. Na reforma iniciada por volta de 1940 e concluída em 1950, a arquitetura interna da velha matriz, valioso patrimônio artístico de obra taubateana, erigida nos tempos coloniais, infelizmente, foi desfigurada e perdeu sua originalidade. Externamente foram mantidas as linhas primitivas. O interior perdeu todo o caráter colonial, permanecendo apenas o retábulo do altar-mor (o mesmo que lá existe até hoje), com belos trabalhos artísticos e ornatos em madeira entalhada {cf. Maria M. de Abreu, op. cit., p. 117; José B. Ortiz, op. cit., Vol. II, pp. 635-636 e 650-653}.

Nessas reformas, não foi dada a devida atenção à arquitetura interna da velha igreja matriz de Taubaté, verdadeira arte dos tempos coloniais. A preservação de parte dos entalhes deve-se ao cônego Evaristo Campista César e ao professor Paulo Camilher, então Diretor da Divisão de Museus da cidade. Esses entalhes foram recolhidos ao Museu de Arte Sacra, instalado na capela de Nossa Senhora do Pilar.

Em 1963, o bispo diocesano dom Francisco Borja do Amaral fez instalar na igreja catedral o órgão tubular com transmissão pneumática. Em 1985, sendo então bispo diocesano dom Antônio Afonso de Miranda, o órgão foi restaurado pelo organista José Carlos Rigatto, às expensas da Prefeitura Municipal. Desde então vem sendo promovidos, ali, recitais públicos de música clássica com organistas de renome.

Em 1688 a Igreja de São Francisco das Chagas de Taubaté foi canonicamente erigida em igreja matriz, sendo a primeira paróquia do Vale do Paraíba. Todas as capelas dos bairros, como as do Areão e da Água Quente, pertenciam à paróquia de São Francisco das Chagas. Só em 1914 foi criada a paróquia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, no distrito de Quiririm.

Entre os curas da Igreja de São Francisco das Chagas de Taubaté (catedral) destacou-se o cônego e monsenhor Evaristo Campista César. Ele exerceu o curato desde 2 de fevereiro de 1925 até 9 de novembro de 1984, o dia de seu falecimento {cf. José B. Ortiz, op. cit., Vol. II, pp. 635, 653-654; Maria M. de Abreu, op. cit., p. 56}.

Pe. José Francisco Schmitt, scj.

Comments are closed.