Dehonianos - Província BSPArtigosSABERES E SABORES DE ARTE E FÉ

SABERES E SABORES DE ARTE E FÉ

O violinista pobre de Cracóvia recebe a sandália de Jesus

 

A igreja de São Salvador, no bairro de Zwierzyniec de Cracóvia, existe há 900 anos. Ela teria sido construída pelo príncipe soberano Piotr Wlast, fundador legendário de 77 igrejas. O arcebispo de Cracóvia lhe havia predito que ele recuperaria a visão, caso fundasse sete igrejas e três conventos. Cheio de presunção, o soberano decidiu construir 70 igrejas e 30 conventos, dez vezes mais do que pediu o arcebispo. Porém, não recuperou a vista. Ele recapitulou o que tinha feito e compreendeu seu pecado de orgulho. E começou então a construir as sete igrejas e três mosteiros ordenados, entre os quais a igreja de São Salvador, fundada por volta do ano 1148. Lá há um velho quadro que representa a Crucifixão. O singular é que o Crucificado está vestido com longas roupagens suntuosas e calçado com ricas sandálias.
Um dia viu-se um pobre violinista se ajoelhar, com as mãos elevadas ao alto, aos pés do Crucificado. Ele rezava com fervor e, pegando seu filho, o alçava até o crucifixo. Ele não podia sair para trabalhar, pois criava sozinho seu filho e não podia deixá-lo sem companhia. Os dois viviam na miséria, mas eram felizes. Até o dia que a criança adoeceu gravemente.
O violinista não tinha dinheiro para curar o menino. Voltou então até a Cruz, ajoelhou se, e tocando seu violino com emoção, contou a Jesus seu desespero.
O milagre aconteceu. Uma das preciosas sandálias deslizou do pé do Crucificado e caiu no violinista. Ele agradeceu a Deus, pegou a sandália e foi até a Praça do Mercado para trocá-la por dinheiro. Mas os comerciantes viram essa mercadoria preciosa e chamaram os guardas denunciando um roubo. Nem os comerciantes nem os guardas podiam acreditar que o próprio Jesus lhe tinha dado a sandália para salvar seu filho único. O Conselho Municipal tampouco acreditou em suas palavra e naquela noite mesmo ele foi condenado à morte.
O violinista não conseguia convencer ninguém. A execução devia acontecer na manhã do dia seguinte. Mas, como estipulava a tradição, ele tinha direito a um último desejo. A assembleia ficou pasma quando ele pediu para ir tocar seu violino uma derradeira vez, antes de morrer, diante de Jesus na Cruz.
Na madrugada, e na presença de muitos curiosos, o violinista se ajoelhou diante do Crucifixo e executou sua música enquanto chorava. Todo mundo entendeu a extensão do desespero de um pai. E, diante dos olhos de todos, a outra sandália caiu em suas mãos. O Salvador tinha ouvido novamente suas orações. Imediatamente o violinista foi liberado. Algum tempo depois, um pintor eternizou o testemunho da misericórdia divina num quadro que ainda hoje está posto no muro. Durante as guerras, o Crucifixo foi levado embora. Mas o quadro do Cristo com o violinista continua sempre no altar da igreja de São Salvador.

 

(Fonte: Légendes de Cracovie”, Wydawnictwo Wam, Cracóvia, 1972, p. 50 a 53). Contribuição de Pe. Walmor Zucco (Légendes de Cracovie”, Wydawnictwo Wam)

Comments are closed.