Banner
Dehonianos - Província BSPArtigosPADRE DEHON EM VISITA A SANTA CATARINA (11)

PADRE DEHON EM VISITA A SANTA CATARINA (11)

Os fenícios puderam, aqui e acolá, implantar sua raça na América e levar conosco malatos da Sumatra e de Madagascar. Se nem toda a frota chegou até lá, como pensa Genebrardo, alguns navios ousados ou imprudentes podem ter chegado. As correntes vindas do Cabo da Boa Esperança conduzem naturalmente os veleiros de encontro ao Brasil.

Não teriam vindo também alguns companheiros de Enéias? Virgílio transmite as tradições assim: “Diversa exilia et diversas quaerere terras – Auguriis agimur divum; classemque sub ipsa – Antandro e Phrygia molimur montibus Idae – Incerta qua facta ferunt, ubi sistere detur” – “Os deuses nos conduzem a longínquos exílios e terras diversas; formos na direção de Antandros, a Frígia e o monte Ida, incertos do destino e do paradeiro”.

Mas a poesia é suspeita na história. É bem provável que os cartagineses

conheciam a América. É uma raça poderosa. Estrabão conta que eles tinham mais de 300 cidades na África e que Cartago possuía 300 mil habitantes. Uma vez vencidos pelos romanos, um século e meio antes de nossa era, procuraram um refúgio em outras terras. Mas já antes disso haviam percorrido todos os mares. Conheciam as Ilhas Fortunadas, as Canárias, bem próximas da América. Subiam novamente até a Inglaterra e até Jutland em busca de estanho e outros produtos. Seus barcos podiam facilmente ser impelidos do oceano para a direção da América.

Platão fala de uma ilha que se encontrava no oceano diante das colunas de Hércules, ilha maior do que a África e a Ásia juntas. Diz, é certo, que a mesma desapareceu num cataclisma de um dia e de uma noite, mas sabe-se com que facilidade os historiadores gregos interpretam os fatos que não viram em absoluto (testemunha Heródoto). O dilúvio de que fala, poderia bem ser uma recordação do dilúvio de Noé.

O que foi dito sobre a ilha de Atlanta pelos antigos, representa muito bem a América. Diodoro da Sicília, que escreveu um século antes de nossa era e trezentos anos depois de Platão, conta que os fenícios da África tinham empreendido vários séculos antes a navegação fora das colunas de Hércules, e tinham sido arrastados para uma terra desconhecida, muito grande, no meio do oceano, terra agradável, fértil, regada por grandes rios, com extensas florestas, e que ali se estabeleceram.

Não disse Platão que esse continente tinha desaparecido porque não se iria mais para lá, porque se perdeu o caminho, porque os navegadores de seu tempo eram menos audaciosos do que os fenícios mais antigos?

Circular SCJ – 15 anos de BSP e BRM.

Comments are closed.