Banner
Dehonianos - Província BSPArtigosSABERES E SABORES: CULTIVAR NA ESPERANÇA E NO DESPRENDIMENTO

SABERES E SABORES: CULTIVAR NA ESPERANÇA E NO DESPRENDIMENTO

“Quando se acabam as forças, Deus renova”
Havia um homem que cultivava a terra, a plantar um trigal. Trabalhava do amanhecer ao por do sol. Então, juntava-se à família para o aconchego da esposa e filhos. Houvesse sol, chuva, vento, frio ou calor, lá estava ele.

Aquilo interessou um viajante que ali transitava com regularidade. Certo dia, perguntou:

– “Bom homem, estás velho e cansado. Por que não descansas dessa lida tão rude”?

– “Não posso, amo a terra e meu trabalho. Por estar velho devo apressar-me. Tenho pouco tempo e muito a fazer”.

O viajante olhou o imenso trigal balançando ao vento e comentou:

– “A terra recompensa o teu amor. O trigal está maravilhoso. Será produtiva a colheita”.

– “Apenas planto. Minha mulher e meus filhos é que colherão”.

O viajante ausentou-se por vários meses. Retornando, encontrou o homem no trigal, numa tarde fria, sem sol. O viajante se aproximou e viu-o cansado, envelhecido e triste. Vestia-se de luto.

– “Perdeste algum querido?”

– “Perdi toda a minha família. Em poucas semanas, se foram, devorados por febre maligna. Fiquei só”.

O viajante comoveu-se:

– “Por que continuas nesta tarefa cansativa? Já não tens mais quem colha os frutos”.

– “Ah, senhor isto não me preocupa. Prosseguirei plantando. Quem necessita, virá colher o trigo farto. E são tantos os que tem necessidades”.

Surpreso pelo desprendimento do camponês, o viajante concluiu:

– “Tens razão, bom homem. Oxalá fossem muitos como tu, a plantar sem esperar a colheita”.

Cf. http://www.uph.org.br/arquivo/historias_eificantes /historiaedificante_02.htm

 

Comments are closed.