Dehonianos - Província BSPArtigosMEMÓRIAS DA NOSSA HISTÓRIA

MEMÓRIAS DA NOSSA HISTÓRIA

Conventinho de Taubaté. Os Dehonianos no Vale do Paraíba

12.6. Paróquia Imaculada Conceição – Distrito de Quiririm
O povoado de Quiririm teve seu início no final do século passado com um núcleo comunitário de imigrantes italianos, que vieram a Taubaté contratados para trabalhar na lavoura.
Os registros históricos do Conventinho atestam a presença dos padres dehonianos no Quiririm  desde o dia 24.7.1960, na pessoa do padre Valério Cardoso. Em 1966 o padre Emílio Mallmann foi nomeado vigário ecônomo da paróquia de Quiririm {cf. Cr. 2. fl. 43v; Últimos Ensaios (out. de 1966), p. 37}. Além de padre Valério, padre Renatus Boeing exerceu a função de pároco durante o ano de 1971. Além deles, padre José Knob e outros deram assistência àquela comunidade paroquial.
Historicamente, a paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Quiririm é a segunda paróquia mais antiga da cidade de Taubaté. Foi criada a 9 de julho de 1914 e assumida pela província em 9 de junho de 1976. Aos 31 de outubro do mesmo ano, dom Couto empossou padre Lauro Rosá como pároco {cf. Circular SCJ (jun. 1976), p.1042; ib., (out. 1976), p. 1123}.
Durante 22 anos os padres e fratres scj deram assistência àquela comunidade eclesial, com apenas um pequeno intervalo, de 1967-1968. A paróquia compreendia as comunidades de Santo Agostinho, do CECAP, São Judas Tadeu e do Bonfim.
Em julho de 1979, com o abandono da vida religiosa e sacerdotal do padre Rosá, o atendimento passou aos cuidados dos padres Antônio Hemkemeier e Floriano Martins. Devido às dificuldades de manter o atendimento, a paróquia foi devolvida à diocese no dia 6 de fevereiro de 1982, passando então a responsabilidade pastoral ao padre Benedito Beni dos Santos {cf. Atas da Casa, fls. 46v e 80v.}.

12.7. Paróquia de Santa Rita de Cássia  (Jardim da Granja) – São José dos Campos.
Em 16 de março de 1981, o governo provincial se propôs assumir, na diocese de São José dos Campos, tão logo que fosse possível, uma segunda paróquia, a ser escolhida em comum acordo com o novo bispo. Esta paróquia seria em substituição à paróquia de Vista Verde, que fora devolvida. Assim, dom Eusébio, após empossado na diocese, ofereceu concretamente a paróquia do Jardim da Granja, mais próxima da nossa paróquia do Parque Industrial.
Antes de ser elevada à categoria de paróquia, era assistida como capelania de São Dimas. Foi criada a 4 de março de 1973. Em outubro de 1977, na falta de padre, passou a ser atendida pelos padres Nelson Tachini e frei Tiago, e mais tarde, Antônio José Thamazía, que estava em o Noviciado de Santa Terezinha. A irmã Maria José da Anunciação já vinha trabalhando aí há 30 anos na catequese. Ainda durante o tempo do atendimento dessa paróquia, com a morte do Capelão Militar do CTA  (Centro Técnico Aerospacial), padre Nelson deu a assistência por um semestre à capelania de Nossa Senhora de Loreto – CTA.
No dia 17 de dezembro de 1981, o provincial padre Murilo S. R. Krieger, com a aprovação de seu conselho, aceitou a paróquia. Para primeiro pároco foi nomeado padre Bertino Schappo. Sua posse foi no dia 7 de março de 1982. Coube-lhe a difícil tarefa de construir a igreja matriz de Santa Rita de Cássia, a casa dos Vicentinos (Assistência Social) e a casa paroquial. Fundou a Obra Social Padre Dehon. Construiu várias capelas. Os padres tiveram o apoio total e excelente participação do povo. O pároco teve, por 4 anos, a valiosa ajuda do padre Flávio Morelli. A Congregação esteve presente nessa paróquia, durante 9 anos. Foi devolvida à diocese aos 17.2.91 {cf. Circular SCJ (abr. 1981), p. 2030; ib. (mar. 1982), p. 23; Informações de padres Bertino Schappo (Vila Maria, aos 4.3.1994) e Nelson Tachini (São Bento do Sul, aos 15.7.1994)}.

12.8. Paróquia da catedral São Dimas –  São José dos Campos
Com a criação da diocese de São José dos Campos e a escolha da igreja de São Dimas para a sede da nova diocese, dom Eusébio Oscar Scheid indicou padre Nelson Tachini para ser o cura da catedral. O governo provincial, atendendo o pedido do bispo, cedeu o cura por 3 a 5 anos {cf. Circular SCJ (jul. 1981), p. 2101}.
A 10 de maio de 1981, padre Nelson tomou posse como o primeiro cura da catedral de São Dimas. Coube-lhe o trabalho de organizar toda a infra-estrutura da igreja catedral e o encaminhamento das pastorais. No começo, padre Nelson esteve praticamente só nas atividades pastorais. Contava com a colaboração do padre Antônio José Thamazía, que residia em o noviciado Santa Terezinha, onde era capelão. Somente em 1983, veio padre Tarcilo Back como vigário paroquial.
Padre Tachini permaneceu como o cura da catedral de São José dos Campos até 18 de dezembro de 1984.  Sucedeu-lhe padre Luís Antônio Faria. Em agosto de 1985, padre Antônio José Thamazía veio residir definitivamente com a comunidade dos padres da catedral.
Após 5 anos de presença dehoniana na igreja catedral em São José dos Campos, aos 13 de abril de 1986, em missa presidida por dom Eusébio Scheid, presente o padre Silvino Kunz, superior provincial, a Província Meridional encerrou seu compromisso pastoral com a catedral São Dimas, compromisso esse que fora assumido a 1º de maio de 1981, “pelo prazo mínimo de 3 e máximo de 5 anos” {cf. Circular SCJ (mai. jun. 1986), pp. 106-107; Informações de padre Nelson Tachini, São Bento do sul, aos  15.7.1994)}.

 

Comments are closed.