Dehonianos - Província BSPDestaquesVIVÊNCIAS E REMINISCÊNCIAS

VIVÊNCIAS E REMINISCÊNCIAS

Paulista “emmineirado” e dehoniano

Eu sou o Diác. Jean Chaves Neves, scj. Nasci na cidade de Limeira/SP, no dia 19 de setembro de 1991, filho do senhor João da Conceição Pereira Neves e da senhora Ana Chaves Neves. Tenho uma irmã, chamada Juliane Chaves Neves, de 24 anos. Depois de uma semana do meu nascimento, meus pais voltaram para a sua cidade de origem, Pirapora, localizada mais precisamente no norte de Minas Gerais. Dessa forma, podemos constatar que sou um paulista que tem muito do Mineiro.
Sou grato a Deus, por ter vivido uma grande parte de minha vida na cidade de Pirapora, onde fui criado e educado. Apelidada de “A capital morena do São Francisco”, Pirapora é banhada pelo grande rio São Francisco, sendo uma das atrações do turismo local. Fazer referência a essa beleza natural, traz à memória os momentos de diversão em suas águas e das visitas a São Sebastião, padroeiro de nossa cidade. Com estima, recordo a paróquia do nosso grande padroeiro e dos religiosos e sacerdotes que por ali passaram, que fizeram história, dentre eles os franciscanos e, atualmente, os padres diocesanos.
A experiência religiosa que pude fazer durante a minha adolescência e juventude se deve aos meus pais que me acompanharam na Igreja bem como no meu despertar vocacional. Dona Ana (mãe) sempre buscou internalizar o valor da fé simples, assim como seu João (pai) o valor da verdade e daquilo que é correto. Não sei você, caro leitor, mas trago comigo frases que nortearam a minha infância, ditas pelo meu pai, como “quem guarda sempre tem”, “para tudo tem seu tempo”. Essas frases dentre outras, formaram a minha consciência e me marcaram, pois meu pai era o primeiro a vivê-las, e isso era possível perceber.
Dito isso, após esse direcionamento na fé, com a participação na vida da Igreja, sendo coroinha e até membro de um grupo de música na comunidade São João Batista, paróquia Nossa Senhora de Fátima. Esse era o momento de avançar ainda mais na caminhada. Após uma confissão, o sacerdote, cônego Ricardo Luiz dos Santos me perguntou se eu já havia pensado em ser padre, eu disse que não, porém a partir daquela conversa tudo começou a mudar. As coisas começaram a fazer sentido, tanto a minha dedicação na comunidade, a experiência de fé e as palestras do Pe. Léo, scj que eu assistia na TV Canção Nova, foram importantes para o discernimento vocacional.
Sim, o Pe. Léo, scj foi um instrumento de Deus para a minha vocação, além das engraçadas histórias, o seu conhecimento e seus ensinamentos me ajudaram a discernir. Foi então que em 1º de maio de 2010, comecei uma caminhada com os Padres Dehonianos (scj). Entrei no seminário propedêutico em São Paulo, logo depois fiz o curso de Filosofia em São Luiz/MA, Postulantado em Terra Boa/PR e o noviciado em Barretos/SP. Fui formador no seminário menor na cidade de Lavras/MG e, atualmente, curso Teologia na Faculdade Dehoniana, em Taubaté/SP onde também resido. Professei os votos perpétuos em 13 de fevereiro de 2021 e fui ordenado diácono no dia 14 de fevereiro do mesmo ano.
No dia 22 de janeiro de 2022 serei ordenado presbítero, pela imposição de mãos de Dom Darci José Nicioli, arcebispo da arquidiocese de Diamantina/MG. Com a graça de Cristo e a proteção de Santíssima Virgem Maria, quero ajudar o povo de Deus, dia após dia, a trilhar o caminho do Senhor, na fidelidade e generosidade de coração.
Tendo em vista essa grande motivação que trago comigo, viver a oblação e a entrega de minha vida a Cristo, assumir como lema de ordenação: Ele me amou e por mim se entregou (cf. Gl 2,20). Por fim, sou agradecido a Deus e a Congregação dos padres do Coração Jesus pela minha formação e por todo o bem que sempre me fizeram. Deus os abençoe sempre, que o Coração de Jesus nos ajude em nossa missão.

 

Diác. Jean Chaves Neves SCJ (Conventinho e Faculdade Dehoniana de Taubaté).

Comments are closed.