Dehonianos - Província BSPArtigosSABERES E SABORES, SEM SABOR NEM SABER

SABERES E SABORES, SEM SABOR NEM SABER

A parábola do ódio

 

Em uma cidadezinha, havia dois comerciantes que se odiavam. Suas lojas eram uma de frente com a outra e vendiam as mesmas mercadorias.
Quando um vendia determinada mercadoria por um preço, o outro logo procurava baixar o seu preço só para tentar tirar o cliente do concorrente, mesmo se baixar o preço da mercadoria para um preço muito inferior lhe desse prejuízo.
E assim, eles passavam os dias procurando formas de prejudicar um ao outro, pois o ódio em seus corações só aumentava a cada dia.
Certo dia, um anjo de Deus veio até um deles e disse:
– Eu sou um anjo e você ganhou o direito de me fazer um pedido e o que você pedir será prontamente atendido.
Escutando aquilo, o comerciante ficou eufórico e começou a pensar qual de seus sonhos ele iria realizar naquele momento. Afinal, ele não poderia correr o risco de fazer um pedido que pudesse se arrepender depois, pois, conforme disse o anjo ele só tinha direito a apenas um pedido.
Enquanto ele estava pensativo, decidindo se pediria: um carro novo, uma linda casa, uma fazenda, etc., o anjo, disse-lhe:
– Devo informa-lhe que a única regra para que eu conceda este seu pedido é que você saiba que o que você me pedir o seu inimigo da loja da frente receberá em dobro.
Ao ouvir do anjo, que seu inimigo receberia em dobro o que ele pedisse, rapidamente disse ao anjo:
– Sendo assim, não tenho mais dúvidas! Já que tudo que eu pedi será dado em dobra ao meu inimigo, quero que você arranque o meu olho direito!
Esta parábola nos alerta sobre os perigos de cultivar o ódio em nosso coração. O ódio é tão destruidor, que fez com que um dos personagens desta parábola, abrisse mão de escolher algo de valor para si, em troca de prejudicar seu inimigo. Como vimos, o ódio que sentimos não afeta apenas o outro, ele também nos afeta. Pois para que seu inimigo perdesse os dois olhos ele decidiu perder um de seus olhos. Quando consumidos pelo ódio, somos capazes de tomar decisões como esta que o personagem tomou, mesmo que elas nos tragam dor e perdas. Liberte-se do ódio, libere seu perdão e viva melhor!
“Não odeies o teu inimigo, porque, se o fazes, és de algum modo o seu escravo. O teu ódio nunca será melhor do que a tua paz.”

 

Motivação e Foco (https://motivacaoefoco.com.br/parabola-do-relogio-perdido/)

Comments are closed.